O presente roteiro busca trazer à tona espaços significativos para a comunidade LGBTQIAP+ na cidade de São Paulo, realizando um panorama dos principais eventos históricos em relação à luta contra a estigmatização e preconceito e relembrando personalidades e organizações importantes para sua construção, tais como Brenda Lee, Claudia Wonder, grupo SOMOS, etc. Faremos uma caminhada por pontos próximos, de fácil acesso e importantes para a memória política e afetiva da comunidade, seja por serem lugares de convívio, como o vale do Anhangabaú, rua Vieira de Carvalho, Galeria Metrópole, praça da República e Largo do Arouche, ou por terem sido palco de manifestações importantes, como o Ferro’s Bar – local onde ocorreu a primeira manifestação política organizada de lésbicas em 1983, nosso “stonewall” brasileiro. Além disso, a deriva se propõe a ser um espaço de encontro entre LGBTQIAP+ que queiram compartilhar suas memórias afetivas pela cidade, quais são os lugares que marcaram sua trajetória enquanto LGBTQIAP+? Que narrativas transpassam nossos corpos no espaço urbano? Você se sente representade na sua própria cidade?
Durante a deriva irei comentar alguns pesquisadores importantes da comunidade LGBTQIAP+ brasileira, como James Green, João Silvério Trevisan, Renan Quinalha, Helena Vieira, Néstor Perlongher, etc, entrecortando essas narrativas com relatos de membros da comunidade registrados em documentários como “São Paulo em Hi-Fi”, “Lampião de Esquina”, “Dores de Amor”, entre outros. A intenção aqui é contemplar da melhor forma possível a diversidade identitária da comunidade e seus espaços pela cidade.

 

Ponto de Partida: escadarias do Theatro Municipal
Classificação Indicativa: 16 anos
Sábado, as 15h

Informações e inscrições por e-mail:
rainhakong@gmail.com

Deriva LGBTQIAP+: Memórias Dissidentes e outros babados